Apesar de ser algo raro, sendo que apenas uma grávida tem pedra no rim a cada 1150 grávidas, o cálculo renal, mais conhecido como pedra no rim, não pode ser retirado durante a gravidez. Os médicos apenas tratam as dores causadas pelas pedras com remédios antiespasmódicos, iguais aqueles que combatem as cólicas menstruais, ou em caso de dores muito fortes, medicamentos derivados de morfina.

Uma das dicas para evitar o problema é procurar seu médico antes da gestação para identificar possíveis pedras no rim e trata-las a tempo, já que a gravidez pode fazer com que as dores se tornem mais fortes. É nesse período também que a quantidade de hormônios que contribuem para a dilatação do ureter aumentar e pequenas cálculos podem passar pela bexiga, acentuando a dor.

Existe também a litotripsia, que é o procedimento em que as pedras são explodidas por radiação e eliminadas pela urina, que pode ser realizada 15 dias após o parto, mas o ideal é que ela ocorra depois que o bebê completar 1 ano de idade, porque o período de recuperação da mãe limita esforços. E mesmo que você não tenha nenhum cálculo detectado antes da gravidez, é bom se cuidar, tomando um copo de água de hora em hora até anoitecer e não deixar de ir ao banheiro a cada duas ou três horas.




0 comentários:

Postar um comentário