Os Mais Procurados


Postado por : Jhenniffer Uliana terça-feira, 3 de maio de 2011

Quando você engravida, já começa a ter expectativas sobre aquele bebê.
Do quarto às brincadeiras que ele vai gostar, tudo passa pela imaginação dos pais, inclusive a possibilidade de o feto ter uma malformação.
O fato é que as chances disso acontecer são pequenas. Devemos lembrar que até 3% das gestações podem ter algum problema desse gênero.
Muitas pessoas acreditam, erroneamente, que todos os tipos de anomalias congênitas são mais frequentes em mães mais velhas.
Na verdade, a maior parte das malformações acontece em mulheres com menos de 35 anos por ocorrência espontânea.
A idade avançada é um dos fatores que aumenta os riscos de bebês para alguns problemas cromossômicos, como Síndrome de Down (um caso em 1.500 aos 20 anos; um em 900 aos 30 anos; e um em 100 aos 40 anos).
Independente disso, ninguém está preparado para receber a notícia de que seu bebê tem algum problema. O amparo do médico que acompanha a gestante é essencial, bem como o apoio da famílias aos futuros pais.
A maior parte das anormalidades fetais pode ser diagnosticada durante o pré-natal.
A situação mais comum é quando se encontra algum indício durante o exame de ultrassonografia nos primeiros meses de gestação, que vai exigir uma confirmação sobre a normalidade do bebê, por meio de uma avaliação médica mais especializada.
Com o diagnóstico confirmado, é indicada uma consulta com um especialista. Durante essa sessão de aconselhamento com um geneticista ou um especialista em medicina fetal, o médico vai fazer várias perguntas sobre a família, se existem casos de problemas genéticos ou outras doenças.
Em muitos casos, será indicada a realização de uma amniocentese genética. Trata-se de um exame realizado a partir da 14a semana da gestação, em que é feita uma punção de uma quantia de líquido amniótico da placenta para ter certeza se o bebê tem os 23 pares de cromossomos normais, para então estabelecer um diagnóstico preciso.
Os médicos explicam todas as consequências, prós e contras de cada procedimento possível e também as alternativas para cada caso.
Para a maioria das síndromes genéticas não existe um tratamento intraútero, mas há casos que podem ser operados logo após o parto, sim, como defeitos da parede abdominal do bebê.
É importante lembrar que muitas malformações estão associadas com outras – é raro o bebê ter somente um problema.
A malformação pode ser desde as mais simples (como um dedo a mais) até as graves alterações genéticas.
O mais frequente são os problemas no número de cromossomos, geralmente trissomias, quando em vez de dois pares normais, formam-se três copias.
A mais comum é a Síndrome de Down, quando o bebê tem três cópias do cromossomo 21. A Síndrome de Edwards (trissomia do 18o par) e a de Patau (trissomia 13) são doenças mais raras e mais graves.
Diante desse dilema é aconselhável ouvir avaliações de outros médicos de confiança, indicados por amigos ou por hospitais de referência, até que se possa formar uma opinião esclarecida.
É importante lembrar que o desfecho pode ser diferente para doenças iguais, dependendo dos valores afetivos e socioculturais de cada família. Qualquer que seja o problema, você precisa se sentir segura para poder amparar essa criança.
Alguns médicos recomendam que o casal faça um acompanhamento psicológico. Em geral, as clínicas especializadas em medicina fetal oferecem esse serviço.

Comentários
14 Comentários

{ 14 comentários... read them below or Comment }

  1. oi,engravidei no inicio de janeiro fiquei sabendo q ja estava de um mes e meio fiz a primeira ultrasom tava tudo certo, foi aquela felicidade pois era meu primeiro filho.
    Passado dois meses fui fazer o segundo ultrason ja para saber o sexo e descobri q o feto havia morrido ha dois meses foi quando eu levei um choque e tive q fazer a curetagem . Nossa foi a pior sensaçao da minha vida agora tenho q esperar tres meses para engravidar de novo.Mas no fundo estou com um pouco de medo de acomtecer tudo de novotenho fe em deus ele sabe o q faz bjs....

    ResponderExcluir
  2. Oi Renata olha eu sinto muito e sei o quanto doi isso.
    É difícil superar nada vai substituir essa perca, mas deus sabe o que faz e pra tudo nessa vida tem um motivo disso, pode ter a certeza que você terá um bebezinho lindo ainda em teus braços, amiga é só ter fé e pedir a deus e acredita, daqui a pouco estará ai com você..bjs..

    ResponderExcluir
  3. estou com um aborto retido,estava gravida de dois meses e meu feto já não estava se desenvolvendo a um tempo,e sem batimentos cardiacos,estou com medo, medo de curretagem e medo de ter infecção se deixar expelir naturalmente, tem sentido meus medos ou estou impressionada?

    ResponderExcluir
  4. Oi Dani eu sinto muito pela sua perca,o melhor que você tenha a fazer é a curetagem pois todos os ricos que você pense sobre infecções o melhor e a garantia de nada disso acontecer é a curetagem.
    Não fique com medo pois é rápido e eles dão anestesia, e não fique triste pois você concerteza vai ter outro filhinho em breve é só ter fé e tentar..bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá. Eu tive um aborto a 2 anos e agora engravidei novamento só que as dúvidas me consomem. Tenho medo de má formção,de abortar novamente e etc. Sei que todas nós temos esses medos mas você como eu sabe bem o que estou passando. O que mais me preocupa é que pareço que estou doente. Essa semana peguei gripe fazia uns 6 meses que não pegava, tenho dores no abdomen como se ele estivesse esticando abaixo dos seios. Me ajude o que realmente é normal????

    ResponderExcluir
  6. Oi Luana me desculpa a demora para ti responder, pois estou em recuperação da cessaria que fiz agora estou voltando ao trabalho.
    Bom olha o medo atrapalha muito mesmo a gente, como você pode ver eu também passei por isso, mas acredite e curta muito a sua gravidez, pois nenhuma é igual a outra. Esse resfriado é comum mesmo pois o nosso organismo fica bem menos resistente, é como se o bebê ficasse com toda sua resistência toda nossa força, bom claro que isso é hum modo de dizer. Já as dores Luana pode ser que é porque o bebê esta crescendo e seu corpo esta procurando espaços.
    Mas como ti falei pode ser, seria melhor você conversar mesmo com seu obstetra. Bjs fica com deus e não se preocupe que tudo vai dar certo, aproveite sua gravidez é tudo isso que importa agora.

    ResponderExcluir
  7. Olá, estou grávida de 10 semanas e esses dias venho sentindo uma pressão vaginal,não com tanta frequência. 2 semanas atras fiz a ultra e os exames de urina e sangue e estava tudo certinho, os batimentos e ele estava se desenvolvendo normalmente.
    Mas agora que estou sentindo isso, fiquei preocupada, o que pode ser??

    ResponderExcluir
  8. Olá primeiro de tudo parabéns pelo bebê, bom de certo essa pressão vaginal no começo da gravidez é normal não se preocupe pois isso ocorre pela transformação e espaço que seu corpo procura para o desenvolvimento do bebê. Mas seria bom evitar relações sexual até o terceiro mês de gestação, tente repousar não fazer esforços.
    Mas qualquer coisa a não ser a pressão vaginal, converse com seu obstetra tenho certeza que vai ti ajudar..beijos e mais uma vez parabéns pelo bebê e curta muito sua gravidez.

    ResponderExcluir
  9. Renata,

    Aconteceu comigo isto tb,mas hoje eu tenho um lindo menino, não fique com medo não, eu tb fiquei insegura e Deus me deu o melhor presente do mundo, as vezes não entendemos o pq, mas com certeza virá uma criança cheia de saude pra vc...bjos

    ResponderExcluir
  10. Bom dia,
    Estava grávida de 2 meses qdo o coraçãozinho do bebê parou. Tive que fazer curetagem. 4 meses depois já recuperada engravidei de novo... estou de 6 semanas e muito medo de acontecer de novo... ou acontecer outra coisa ruim qq... Fico achando que naõ estou sentindo os sintomas de grávida... Já tenho uma filha. Nas outras gravides (a que perdi e na da minha filha... senti a barriga "fucionando", "trabalhando"... desde o começo da gravidez, senti tb enjoos matinais...) e agora NADA... tô preocupada... o exame de sangue deu positivo...
    Mas tenho medo. Estou com medo.
    Quais cuidados devo tomar.
    Será que pode acontecer de novo?
    Já aconteceu com alguém?
    Já vi pessoas que abortaram 5 vezes... coitadas.
    Meu histórico nao é esse (ainda) pois já tive uma filha sem nenhum aborto e nenhuma complicação.
    Desculpe o desabafo.
    Obrigada
    Carol

    ResponderExcluir
  11. Olá Carol td bem...?
    Olha não tenha medo, pois nenhuma gravidez é igual a outra, para ti acalmar vou ti contar um pouco da minha historia, eu fiquei gravida e estava indo muito bem, só que quando fiz sete meses de gestação tive um deslocamento prematuro da placenta estava com 3 centímetros já de dilatação, só que na minha cidade não tinha UTI NEO NATAL o médico mandou eu de volta para casa dizendo que meu filho não iria nascer e tudo mais, quando foi na madrugada do mesmo dia as dores de contração veio fortes, então voltei para hospital e chegando la estava com 8 dedos de dilatação o médico disse que não iria dar tempo de encaminhar eu para outro hospital não iria dar tempo, então meu filho ali nasceu com 1.800kg, ele ficou 2 horas vivo tentando sobreviver e conseguir vaga em outro hospital que tivesse UTI NEO NATAL, mas a demora foi tanta que ele não resistiu e veio a falecer, teve parada cardíaca respiratória... eu chorava muito pois vi meu filho ainda vivo, e queria ele comigo, mas deus o levou e eu não entendia porque, quando fui embora para casa fiquei muito mal eu e meu esposo, na minha cabeça eu queria meu filho de volta, fiquei tentando engravidar logo em seguida, a vontade de ter meu filho de volta era tanta que depois de 2 meses fiquei gravida novamente e esse minha gestação foi tudo tão tranquilo eu não tive nada foi maravilhoso, fiquei com medo igual a você mas peça a deus com fé que tudo vai dar certo Carol, jaja seu filhinho vai estar com você.
    Hoje meu filho tem 10 meses e para min ele volto. bjs amiga vai dar tudo certo..

    ResponderExcluir
  12. Ola, perdi meu bebe em 9 de fevereiro devido a um acidente de moto, eu estava na garupa e voei a mais ou manos uns 4 metros da moto e cai sentada. eu estava de 9 semanas e meia. no hospital nao quiseram nem me examinar, ja que deu uma dor forte no baixo ventre na hora e depois passou e eu so tive ferimentos leves. fiz uma eco dias depois e descobri que o coraçao dele nao batia mais desde aquele dia. o medico que me fez a cureta disse que eh muito dificil que ele tenha tido obito devido ao impacto do acidente e que acreditava que era so uma coincidencia a data bater. ja a minha gineco disse que foi pelo impacto. ate hoje nao sei exatamente oque penssar a respeito. a unica certeza que tenho eh a de que se mpre vou ama-lo, mesmo longe, mesmo sem ve-lo, mesmo sem toca-lo. mesmo que eu venha a ter outro ao qual eu vou amar, cuidar enssinar, educar e apertar muito as buchechas, sempre vou amar de uma forma platonica aquele anjinho do ouvi o coraçao bater um dia. sinto muito pelas mulheres que passaram o mesmo que eu. tenham paciencia consigo mesmas porque o medo, a insegurança e a tristeza sao superadas aos poucos e diariamente. bjs a todas

    ResponderExcluir
  13. olá, sou a anomima anterior. em homenagem ao meu anjinho de 9 de fevereiro escrevi este poema:

    simplesmente amor

    "Ele é puro e despido de egoismo
    Exercita o amor na liberdade
    Permanece mesmo que se afaste
    Se aproxima ainda que longe
    Afaga mesmo que nao toque
    Perde um pedaço seu na despedida
    mas deixa partir
    Esta essencia de amor
    pede que siga
    Se necessario inclusive
    implora que esqueça
    E continua...
    No livre movimento de amar"

    ResponderExcluir

APELO DOS ANJINHOS

Mamãe sabe que às vezes é difícil e complicado ter já a responsabilidade que não queria, mas de certo essa responsabilidade é tão gostosa é um prazer da vida, é o pensar de que tudo isso valeu a pena, a cada minuto de seu amado é a gloria divina de deus, é uma benção de que ela é a vitória de um começo. A cada movimento em teu ventre, é o dizer-te de que esta bem mamãe e quer vim ao mundo para ti amar, e em teus braços me acolher, juntinho a você me aquecer. É o dizer de que tudo que você lá no começo pensou, só foi apenas um susto, e que daqui nove meses estarei contigo pra ti alegrar ti fazer companhia. Tenho certeza que quando me ver mamãe vai me amar, e pedirá perdão ao meu papai do céu por pensar em me abandonar.


Copyright © 2014 Tudo Sobre Gravidez - Template Desenvolvido por Johanes Djogan - Reeditado por Edson Roberto